EMPENHADO NO COMBATE POR UMA COIMBRA MELHOR

//EMPENHADO NO COMBATE POR UMA COIMBRA MELHOR

Como temos afirmado reiteradamente, a imprensa regional, dadas as suas importantes características, tem desempenhado um papel do maior relevo aos mais diversos níveis para o desenvolvimento do país e da região e, ainda de uma forma muito especial, junto das comunidades lusíadas espalhadas pelo mundo. Também como temos praticado, respeitamos a sua isenção jornalística que é de interesse público.

Abordando, normalmente, problemas muito localizados, permite, por isso mesmo, uma compreensão e um conhecimento pormenorizado das realidades concretas e dos anseios mais profundos das populações dos quais emana a informação que colhe e transmite.

A imprensa regional constitui assim um instrumento fundamental de “leitura” do país real e um barómetro precioso do estado de uma região, dum concelho, duma cidade e do pequeno lugar onde há uma dimensão diferente, mais humana e mais fraterna.

Um jornal regional considera-se quase sempre, entre outros elementos, pela sua longevidade. São o momento da sua fundação e os anos de vida que normalmente nos dão conta da sua importância e dimensão. É evidente que “O Despertar” não foge à regra. “O Despertar” existe há 100 anos porque presta bons serviços à população, é lido e querido pelos seus leitores entre os quais me incluo.

Com espírito crítico, o trabalho da autarquia tem tido ampla expressão nas páginas de “O Despertar”. É evidente que o bem-estar dos cidadãos depende, em muito, da sua autarquia, que tem a seu cargo áreas de importância vital para a qualidade de vida das pessoas. E para a boa concretização desse objetivo tem a imprensa regional um papel relevante no apontar das carências e dos problemas existentes, ao mesmo tempo que dá a conhecer as realizações conseguidas.

Hoje, mesmo quando o poder local é por vezes criticado, penso que a imprensa regional tem um papel extraordinário na ajuda e no apoio a este mesmo poder local democrático que celebra 40 anos de vida. E, por isso, estou certo que “O Despertar”, neste arranque para um novo século, continuará empenhado no combate por uma Coimbra melhor, dando conta de problemas e carências, mas também sublinhando o que de positivo se faz.

A passagem dos séculos traz grandiosidade. Parabéns reforçados a “O Despertar” por ter chegado à respeitável idade de 100 anos, os votos dos maiores sucessos à sua Direção, a todos os que o fazem e, muito em particular, aos leitores.

MANUEL MACHADO (presidente da Câmara Municipal de Coimbra)