Qualidade, eficiência e inovação é o lema da J. Costa

/, EMPRESAS/Qualidade, eficiência e inovação é o lema da J. Costa

Trabalhar com eficiência as marcas renomadas que fabricamos e comercializamos” é o lema da J. Costa, empresa especializada no fabrico de estores interiores e exteriores, caixilharia de alumínio e que, recentemente, reforçou a sua produção com uma linha de fabrico de caixilharia em PVC. Com 32 anos de existência, a empresa sediada em Antanhol apostou na expansão para poder contornar a crise e, sempre em crescimento, vai abrir dentro de dias uma nova loja em Lisboa.

Num mercado constantemente em evolução, é preciso estar sempre “um passo à frente” para poder responder às necessidades e desejos do cliente. Trabalhar com eficiência, apostando na inovação e assegurando sempre uma resposta de qualidade é o desafio diário da J. Costa, empresa que conta já com 32 anos de experiência e que tem à disposição do cliente uma equipa de mais de 26 profissionais.

Com instalações fabris em Antanhol, em Coimbra, cidade onde dispõe ainda de um Showroom, na Solum, junto ao Estádio, a empresa procurou sempre “antecipar-se ao mercado” de forma a distinguir-se não só pelos serviços de qualidade que presta, pela diversidade de materiais que disponibiliza mas, também, pelo seu caráter inovador.

Natural de Castanheira de Pera, José Costa, gerente da empresa, escolheu Coimbra para se estabelecer. Fê-lo há 32 anos e, desde então, a sociedade passou por várias fases, algumas delas muito difíceis para o setor. A crise abalou o país e muitas empresas da área da construção civil sentiram os seus efeitos. Com uma visão de futuro, José Costa orgulha-se de a J. Costa não ter sentido os seus efeitos e de ter registado sempre, mesmo nos anos mais difíceis, um crescimento ao nível da faturação.

A J. Costa, felizmente, conseguiu contornar a crise. Ponderámos sempre com alguma antecedência, de forma a acautelar o futuro. Pensei sempre que Coimbra iria ter alguma dificuldade na área da construção, porque temos cada vez menos empresas de algum porte na cidade, mas confesso que nunca a premeditei para todo o país”, explica.

E foi precisamente a perspetiva que tinha do setor para Coimbra que o levou a avançar com novos projetos, de forma a expandir a empresa e de a abrir a novos mercados. A J. Costa abriu então uma loja no Funchal, na Madeira, e estendeu-se ainda a França, onde tem uma loja em Biscarrosse, na zona de Bordéus. Conta ainda com uma representação, através de uma empresa parceira, em Maputo, Moçambique, onde tem uma empresa pronta a abrir assim que sinta necessidade de avançar. Dentro de dias inaugura também uma nova loja em Lisboa, cidade onde sempre trabalhou ao longo destes 32 anos de existência.

Com esta aposta na expansão, a empresa procura aproximar os seus serviços dos clientes, assegurando assim, como é sua filosofia, uma relação próxima entre o profissional e quem a contacta. “Desde que o cliente nos contacta, um dos nossos comerciais vai ao local, tira as medidas, é efetuado um orçamento e, caso haja acordo, nós fazemos todo um trabalho de fabrico e montagem”, explica, garantindo ainda que “caso alguma coisa não corra bem, a equipa está cá para tratar e resolver”.

Todo o tipo de resposta a nível de interiores e exteriores

A J. Costa dedica-se ao fabrico de estores de interiores e de exteriores, caixilharia de alumínio e PVC, assim como outras vertentes do ramo, para além de ser especializada na aplicação e reparação. Assegura, também, uma resposta abrangente a nível da decoração de interiores, com materiais diversificados e uma equipa pronta a apresentar um projeto que se adeque a cada caso. Proporciona ainda uma grande oferta a nível de toldos, uma vertente que completa os serviços que presta.

Com esta gama de produtos e serviços, a empresa está disponível para responder da melhor forma tanto a construtores e empresas como a clientes particulares. Privilegia ainda, como explica José Costa, os gabinetes de arquitetura e engenharia para, numa visão conjunta de projetos e desafios, poderem optar pela “solução mais adequada e qualificada”.

Os estores e as persianas, a caixilharia de alumínio e de PVC, onde se enquadra o alumínio técnico, os automatismos para portões e outras vertentes, referenciando as motorizações, a que associamos tecidos de alta gama, de conceituada fabricação e reconhecida classificação, são a nossa aposta, vai para mais de 30 anos”, refere, sublinhando que a J. Costa disponibiliza todo o tipo de soluções a “nível de decoração de interiores ligado a tecidos e a nível de exteriores ligados à proteção solar”.

Por outro lado, há também a preocupação de garantir “assistência técnica especializada, suportada em profissionais preparados e qualificados” que a empresa tem espalhados pelos locais onde está representada.

De acordo com o gerente, cerca de 99 por cento dos trabalhos são “obrigatoriamente executados por medida” e todo o processo é realizado por técnicos especializados da empresa que, para além da produção, asseguram também a sua instalação.

A caixilharia de PVC é uma das novas apostas da empresa. Com o mercado a procurar cada vez mais esta solução, a J. Costa decidiu investir no PVC, de forma “a não estar dependente dos fornecedores” que, como realça José Costa, por vezes traziam “alguns problemas a nível dos cumprimentos dos prazos”.

Esta é uma novidade que surgiu há cerca de um mês e onde a empresa considera que tem “muito potencial para crescer”.

Mercado reconhece qualidade

Os nossos mercados reconhecem a nossa qualidade”, sublinha José Costa. O proprietário considera que essa qualidade tem que ser mantida diariamente e isso passa por “estar atento ao presente, sem descurar o futuro”.

Somos guardiões de nós próprios na continuidade da aprendizagem de um setor, o nosso, que tem, como outros, vindo a conhecer novas realidades e matérias primas, outros padrões de exigência e produtos com mais funcionalidades e aplicações que concedem melhor qualidade de vida às nossas habitações, aos serviços públicos e a tantas estruturas do Estado, nomeadamente hospitais, ministérios, escolas, universidades e outras em que temos sido selecionados para fornecer e aplicar os nossos materiais”, realça.

Defende que o sucesso da empresa depende de “muito trabalho, com eficiência, com denodo, com profissionalismo, com experiência dos anos de ação, com saber e com a dose certa de humilde”. Depende também de uma visão atenta aos “desafios do mercado” neste setor, de forma a que os clientes – sejam privados, institucionais, públicos, empresariais ou revendedores – “confiem na nossa forma de saber servir com aquele toque da qualidade e da personalização a que os fomos habituando”.

Sempre com uma palavra de agradecimento à família, que o tem sempre apoiado e acompanhado, e a todos os clientes que têm ajudado a construir o percurso da empresa, José Costa diz, com orgulho, que a chancela empresarial J. Costa, Lda é já “um certificado de garantia e de qualidade”, num reconhecimento por um trabalho de mais de três décadas que faz com que esta empresa seja “uma peça de arte no setor”.

Paço da Vila” abriu há um ano

A paixão pelo setor da restauração e o gosto pela cozinha levaram José Costa a “abraçar” um novo projeto no ano passado. “Paço da Vila” nada tem a ver com o conceito da J. Costa mas é mais um exemplo de que é realizando os nossos sonhos que nos tornamos felizes.

E foi o que fez José Costa ao comprar o espaço do antigo “Cabritino”, restaurante situado em Condeixa, em frente ao Palácio de Sotto Mayor, que se encontrava encerrado há cerca de dois anos. Gostou de espaço e, em termos familiares, tudo se proporcionou. O restaurante abriu há um ano e, desde então, tem procurado “reerguer-se diariamente”, reconstruindo uma imagem onde sobressai não só a gastronomia de qualidade mas também a arte de bem servir e bem receber, num espaço muito aprazível e acolhedor.

Com uma ementa diversificada, o restaurante “Paço da Vila” dá especial destaque à “boa gastronomia e à excelente enologia”, duas áreas tão ricas em Portugal, e elege “a receção, a cortesia, a confeção delicada e um ambiente amigo” como elementos que marcam a diferença na hora de escolher um local para desfrutar de um bom momento à mesa, em família ou com amigos.

Sob orientação empresarial de José Costa, o restaurante é gerido por João Martins, um profissional formado pela Escola Superior de Hotelaria de Coimbra. Com serviço de diárias de terça a sexta feira, à hora de almoço, encerra aos domingos à noite e às segundas feiras.