Alambique abre no Parque Biológico da Serra da Lousã

/, Região/Alambique abre no Parque Biológico da Serra da Lousã

O Parque Biológico da Serra da Lousã, em Miranda do Corvo, conta agora com um alambique. Este novo projeto abriu, na terça feira (10 de outubro), junto à queijaria e fumeiro e integra o Museu de Artes e Ofícios Tradicionais.

Em nota divulgada, a Fundação ADFP (Associação de Desenvolvimento e Formação Profissional) recorda que o alambique é um equipamento usado, desde a Idade Média, na destilação de várias bebidas espirituosas, com alto teor alcoólico. Feito em cobre, é constituído por um pote, ligado a uma serpentina de refrigeração através de um tubo conhecido como ‘pescoço de cisne’. A destilação é feita a partir de mostos fermentados (uva ou medronho) que são colocados num pote, aquecido por fogo direto, para provocar evaporação do álcool, depois de sujeito a condensação na serpentina.

Este alambique não vai entrar em produção de álcool. De acordo com a Fundação, vai servir apenas como “museu de uma arte tradicional e instrumento pedagógico para evaporar e condensar produtos sem álcool, teatralizando o tradicional processo de destilação de aguardente”.

O Museu de Artes e Ofícios Tradicionais, onde agora se integra o alambique, é um espaço museológico e oficinal que alia a preservação do artesanato de toda a região à inclusão pela ocupação terapêutica de pessoas com deficiência, doença mental e desempregados de longa duração. Integra oficinas de conserto de calçado, olaria e vidro, vime e cestaria, tecelagem, fumeiro, queijaria, loja de venda ao público e agora o alambique.