AdCL reforça aposta na educação ambiental

/, Coimbra/AdCL reforça aposta na educação ambiental

A Águas do Centro Litoral (AdCL) apresentou, na semana passada, o seu Plano de Educação Ambiental, que visa sensibilizar a comunidade para a importância da preservação do ambiente e dos recursos hídricos. Na ocasião, assinou ainda um protocolo de colaboração com a Associação Portuguesa de Educação Ambiental (ASPEA), que será parceira nesta nova estratégia da empresa.

A implementação do projeto “Rios” é uma das novidades que vai resultar desta nova parceria. Trata-se de um programa de educação ambiental, coordenado pela ASPEA, que promove a sensibilização e educação da população para a importância dos sistemas ribeirinhos, bem como para a proteção da sua biodiversidade e património etnográfico.

Nelson Geada, presidente do Conselho de Administração da AdCL, afirmou que “esta é uma das maiores preocupações da Águas do Centro”, adiantando que o projeto “Rios” “irá melhorar aquilo que na nossa região está menos bem”.

Implementado em Portugal em 2006, este projeto pretende, como explicou o presidente da ASPEA, Joaquim Pinto, “aproximar as pessoas aos rios”, através de uma iniciativa “científica mas também de cidadania”.

Filipa Alves, membro do Conselho de Administração, considera que é importante que a sociedade se envolva na proteção do meio ambiente, de forma a assegurar o seu equilíbrio. Os cidadãos devem saber o que é necessário para preservar os sistemas e compreender a sua importância, nomeadamente o meio hídrico”, disse, admitindo que a esperança é que “este plano leve a uma mudança de atitudes e não só nas crianças, mas também nos adultos”.

O Plano de Educação Ambiental prevê a realização de diversas ações em contexto escolar, nos ensinos básico e secundário, sensibilizando para o tema do ciclo urbano da água, natureza e biodiversidade. “Road-Show” da água nas escolas com ações de sensibilização; um concurso de banda desenhada relacionado com o projeto “Cano é que Paga”; visitas de estudo às instalações da empresa; implementação do projeto “Rios”; implementação do projeto “Escola da Água”; colaboração noutros projetos, como o Eco Escolas; e a formação de professores, monitores e técnicos de ambiente são algumas das ações previstas.

O projeto “Rios” destina-se a municípios, associações, escolas, ATL´s, escuteiros, ONG´s, lares da terceira idade, empresas, grupos de amigos, famílias, entre outros. Os interessados em participar devem inscrever-se, escolher o troço de um rio ou ribeiro que queiram adotar (500 metros), assumindo a responsabilidade pela vigilância e proteção desse curso de água. Aos grupos compete, depois, recolher dados biológicos, químicos, ambientais e históricos (com um kit fornecido pelos coordenadores do projeto), no sentido de irem monitorizando o “seu” troço de rio, e, assim, “determinar a situação dos mesmos”. O estado dos rios são, depois, reportados à ASPEA e, caso haja necessidade de intervenção, é com a associação que deve ser discutido.

Em Portugal existem já cerca de 220 quilómetros de troços de rios adotados, em 20 distritos, e 454 grupos inscritos, em 113 municípios, num total de cerca de 17.800 participantes.

No âmbito deste projeto, e devido à recente parceria com a AdCL, está aberto um curso para monitores do “Rios”, que irá decorrer em Aveiro, nos próximos dias 17 e 18 de novembro. Os interessados podem obter mais informações na página da ASPEA, em www.aspea.org.