Praia da Tocha: Voluntariado reúne com autarquias

/, Região/Praia da Tocha: Voluntariado reúne com autarquias

O assunto foi o incêndio que por aqui deflagrou em 15 de outubro, a sua devastação e a urgente necessidade de intervir, por forma a repor o ânimo a quem aqui vive, a quem aqui passa, a quem aqui tem as suas raízes! A reunião teve lugar na Associação de Moradores no passado sábado, num contexto de colaboração e cooperação mútua entre um grupo de trabalho de voluntários, a Câmara Municipal de Cantanhede na pessoa da sua presidente, do vereador Adérito Machado e do presidente e tesoureiro da Junta de Freguesia da Tocha.

De referir que este grupo de voluntários se formou a partir de um grito de alerta pessoal, lançado através das redes sociais, no dia seguinte à catástrofe. E o que inicialmente foram dezenas de pessoas a corresponderem, passou logo para mais de cinco mil: “é gente de todo o lado que conhece a nossa Praia, mas também a nossa identidade e se disponibiliza, nesta primeira fase, a vir de imediato e já, repor o verde da nossa floresta ao longo do corredor que liga a vila da Tocha à Praia” – diz o porta-voz do grupo. E porque o seu a seu dono, há que salientar o empenho e a forma como as ditas autarquias têm correspondido aos anseios das populações atingidas e particularmente a disponibilidade no apoio a este movimento cívico, consubstanciado nesta reunião, a quarta aliás desde que este movimento surgiu, apoio esse que se evidenciou no assumir de compromissos que irão possibilitar ainda este ano a gestão do corte das árvores e da limpeza do terreno numa faixa ao longo da estrada, de acordo com a autorização obtida do Instituto de Conservação da Natureza e Florestas ( I.C.N.F.).

Será então, e a partir daí, que as pessoas, as pessoas todas, o voluntariado e a própria comunidade, irão intervir na plantação, em moldes devidamente estruturados, como se pretende seja agora ordenada a floresta, para evitar os problemas que hoje vivemos. É que todos nós queremos que a nossa Gândara volte a ser “ aquele chão tão jardinzinho”, como dela falava Idalécio Cação.

ANTÓNIO CASTELO BRANCO