O “Hotel Babilónia” está fechado!

//O “Hotel Babilónia” está fechado!

Queridos leitores, façam o favor de se sentar confortavelmente no sofá da sala d’ O Despertar, sintonizem a vossa estação de rádio preferida, sirvam-se de uma tacinha de vinho branco de Podentes e escutem esta vossa emissão… a minha vida está cheia de rádios!!!

Tudo começou, quando era criança, com a “Rádio Matinaleco”. Que rádio era essa?, pensam os meus muito queridos leitores. Era a RDP Centro, que escutávamos na casinha da Praceta. Nós, carinhosamente, chamávamos a um dos nossos vizinhos o Sr. Matinaleco. Infelizmente esqueci-me do seu nome e apenas recordo que trabalhava na rádio. No programa da manhã eram “anunciados” os aniversariantes do dia e eu ainda hoje me emociono quando recordo a alegria de escutar o meu nome. (Até me apetecia fazer anos todos os dias!!!).

A minha segunda rádio foi a “Rádio Briosa”. Que rádio era essa?! Na verdade não era uma rádio mas todas as rádios que se escutavam no Municipal de Coimbra. Sempre que ia ao futebol tinha muita curiosidade em perceber que rádios escutavam os meus vizinhos de bancada. Havia os que escutavam o relato do jogo que estávamos a ver, havia os que tentavam desesperadamente escutar o relato dos nossos adversários diretos e havia ainda os que escutavam o relato do segundo clube do seu coração (Porto, Sporting, Benfica, Belenenses, etc.). Saudosos esses tempos de tardes de domingo cheias de bola.

A terceira rádio da minha vida foi a “Radio Estudo”. Ui, e esta qual é? Esta é muito fácil de identificar: era a RFM com o seu inesquecível programa “Oceano Pacífico”. O programa do João Chaves começou em 1984 e deu-me a mão ao longo de muitas horas de estudo.

Quando a vida profissional começou a minha companheira passou a ser a “Rádio Kms”. Desta rádio destaco os relatos de futebol e recordo, com saudade, o Jorge Perestrelo, o “Sr. Ripa na Rapaqueca”. Ainda hoje gosto muito de viajar ao som de um (bom) relato de futebol!

Agora estou na fase da “Radio Clarinha” porque, com a ajuda da tecnologia, posso escutar o que me apetece, onde me apetece e às horas que me apetece. Há pessoas que não dispenso da minha rádio: Fernando Alves, que gosto de escutar diariamente nas manhãs da TSF e o Rui Pego e convidados (Virginia Lopez, Ronaldo Bonacchi e Jair Rattner), que gosto de escutar semanalmente nos fins de tarde de quinta feira, na Antena 1.

O “Hotel Babilónia”, do Pedro Rolo Duarte e João Gobern, era um programa da Antena 1 que eu adorava visitar ao sábado de manhã. Fiquei muito triste (e emocionada) com a razão do seu encerramento e recordarei para sempre o Pedro Rolo Duarte como “o homem que gostava de fazer jornais”. O Pedro foi um dos fundadores d’ O Independente da minha vida…

O “Hotel Babilónia” está fechado!

CLARA LUXO CORREIA