CALENDÁRIOS DE PAREDE

//CALENDÁRIOS DE PAREDE

Já estamos em 2018 e ainda não consegui comprar um CALENDÁRIO DE PAREDE daqueles quase gigantes com espaço para anotarmos ASSUNTOS PESSOAIS E FAMILIARES em que AS NOTAS INSCRITAS sejam visíveis a uma distância significativa. Tentei em lojas físicas; procurei online porque é moda e em abono da verdade foi no online que consegui encontrar um dentro das pretensões. Pois foi! O preço do calendário com fotografias dos ABBA era simpático, contudo o preço final devido ao envio e algo mais que não percebi fazia trepar o custo para um valor elevado, direi mesmo insuportável para o meu desejado ENORME CALENDÁRIO DE PAREDE. Depois há também a forma de pagamento. Tenho sempre receio da falta de segurança em relação aos dados fornecidos, mas acredito que este tipo de compras venha a ser lugar-comum num calendário de dois mil e vinte e tal. Podem os leitores perguntar SE GOSTO DOS ABBA o quarteto sueco que venceu há vários anos o Festival da Canção da Eurovisão e fez entrar divisas na Suécia tanto ou mais do que a conceituada VOLVO. Gosto dos ABBA, sim, leitores. O quarteto já se desfez, mas a melodiosa e vasta temática dos ABBA ainda continua na minha memória afetiva e como este ano temos o Festival da Eurovisão em Portugal julguei que seria um calendário adequado.

Já lá vai o tempo em que as grandes empresas nos ofereciam Grandes Calendários de Parede, Vistosos, Belas Paisagens, excelente veículo promocional a estar fixo durante um ano nas paredes das nossas casas, nos escritórios, em espaços públicos. Já lá vai esse tempo, de facto. Agora até parece ser difícil encontrar empresas que se promovam com um simples calendariozito de mesa com uma única ilustração para doze meses. Vivi vários anos em Miranda do Corvo na minha meninice e tenho na memória que vários mirandenses radicados no Brasil faziam chegar nessa época a familiares e amigos CALENDÁRIOS que eram notáveis obras de arte. E eram grandes. Tudo muda. As crianças ou melhor, os jovens de hoje não precisam de calendários nem de relógios de pulso – já pensou nisto? Dispõem de telemóveis e está tudo no mostrador: hora e data em lugar de destaque. Para quê agendas ou calendários?! Sinais dos tempos.

A MUDANÇA DE CALENDÁRIO

Este tempo de Mudança de Calendário de 2017 para 2018 foi vivido com intensidade pela nossa Região: de Aveiro a Leiria; de Coimbra à Figueira; da Praia de Pedrógão à Praia de Mira a festa foi altissonora, movimentadíssima e a satisfazer as necessidades de evasão e de diversão da época… calendarizada. Os municípios lideraram as iniciativas e estão todos de parabéns porque os munícipes estiveram na rua, houve animação, muitos grupos musicais a atuarem e a restauração de um modo geral deu-se por feliz por uma passagem de ano festiva, movimentada e que, fugindo a poucos pingos de chuva, conseguiu assumir-se como um relevante Cartaz Turístico. É disto que precisamos: somos um país de turismo e 2017 foi muito bom nesta matéria. Um país de turismo necessita de ter OFERTAS TURÍSTICAS ao longo do ano e não apenas em fases de sazonalidade.

Desejo a todos os leitores deste centenário jornal O DESPERTAR excelente 2018 e não percam esta noite e no domingo a ESPERA DOS REIS e o AUTO DOS REIS MAGOS. E…vamos cantar AS JANEIRAS?

SANSÃO COELHO (sansaocoelho@sapo.pt)