Liquidâmbar: novo espaço de lazer e cultura já abriu na Praça da República

/, Coimbra, EMPRESAS/Liquidâmbar: novo espaço de lazer e cultura já abriu na Praça da República

Chama-se Liquidâmbar e pretende ser a nova “sala de visitas” da Praça da República, espaço central de Coimbra que ganha agora um projeto “diferente, mais tranquilo” e que mostra que a Praça não é só “vida académica e praxes”.

Jorge Gouveia Monteiro, gerente do espaço, quis fazer diferente, abraçando assim um projeto amplo e diferenciador, que concilia trabalho com lazer e que reúne as condições ideais para os mais variados acontecimentos, seja um simples momento de leitura (de jornais, livros ou outros), de confraternização com amigos, tertúlias, apresentação de livros, exposições ou, simplesmente, um momento de descontração enquanto se saboreia um café e se desfruta da música de qualidade. Com 88 lugares sentados, tem também à disposição grande variedade de vinhos, cervejas artesanais, tapas, aperitivos, sumos e chás. A oferta é complementada com uma loja gourmet, onde os clientes podem adquirir grande variedade de produtos para levar para casa.

Inaugurado na quinta feira (11 de janeiro), o Liquidâmbar, que pede “emprestado” o nome às frondosas árvores da Praça, foi concebido a pensar especialmente no convívio e na cultura. Instalado no primeiro andar do n.º 28, num edifício centenário que foi adquirido pelo avó, José dos Santos Monteiro, por volta de 1930, numa época em que Coimbra crescia na direção de Celas, o novo espaço conta com um bar amplo e acolhedor, uma sala de exposições (onde se pode visitar a exposição “Finitimi – os outros habitantes da cidade”, da autoria de Manuel Malva), um pátio atrativo e recolhido nas traseiras e várias salas com mesas, sofás e cadeiras, onde sobressaem o pé direito generoso e os tetos de estuque trabalhado, num cenário enriquecido ainda pela varanda que assoma à Praça.

Durante a inauguração, Jorge Gouveia Monteiro agradeceu a todos aqueles que ajudaram a dar vida a este projeto, começando pelo ateliê do arquiteto João Mendes Ribeiro, que projetou a reabilitação do andar tirando
partido de toda a sua beleza para as novas funções, e pela empresa Bento & Bento, que “executou primorosamente o trabalho”. Deixou também palavras de reconhecimento aos vários parceiros, sobretudo “empresas de Coimbra e da região”.

Recordou que esta foi a “primeira casa do Sindicato dos Professores da Região Centro”, que agora ocupa apenas o segundo andar. Quando ficou vaga uma das opções era voltar a arrendar. Nesta fase, decidiu, contudo, que era tempo de fazer diferente. “Comecei a olhar para a beleza das instalações e apeteceu-me, nesta fase da minha vida, experimentar fazer aqui um prolongamento da minha sala de visitas e, portanto, com a dedicação que tenho tido a esta cidade e o amor que tenho a esta gente, receber aqui os meus amigos e as pessoas que gostam de discutir e conversar”, explicou.

No seu entender, o Liquidâmbar traz “algo diferente” à Praça da República, “mais tranquilo”, distinto do bulício habitual da vida académica. “É um sítio onde se vão encontrar pessoas que gostam de ler, de conversar, de reunir, de fazer pequenos debates, lançamentos de livros, exposições”, frisa, deixando claro que este será um espaço onde “arte, cultura, convívio, confraternização e boa música” se vão conjugar diariamente.

Espero que as pessoas venham, gostem, queiram voltar e tragam outros. Acima de tudo, que aproveitem o que aqui se criou”, disse, deixando um convite a Coimbra para que visite e desfrute deste novo espaço, que está aberto de segunda a domingo das “16h00 às 25h00” (01h00).