Conferência de Reitores abre Jogos Europeus Universitários

/, Desporto/Conferência de Reitores abre Jogos Europeus Universitários

O desporto universitário – financiamento, organização e gestão – é o tema da Conferência de Reitores que vai abrir o programa da quarta edição dos Jogos Europeus Universitários (EUG), que decorrem em Coimbra de 15 a 28 de julho.

Esta conferência, marcada para 14 e 15 de julho, na Universidade de Coimbra (UC), assume-se como a “oportunidade perfeita para juntar os reitores de algumas das principais universidades europeias a analisar o estado atual do desporto universitário, assim como os caminhos para o seu desenvolvimento”. A troca de ideias, experiências e partilha de exemplos de boas práticas é o principal objetivo deste evento.

Serão convidados os reitores de todas as universidades que irão participar nos Jogos Europeus Universitários, estimando-se um total de 350 universidades participantes nos EUG2018.

Parceria para promover estilos de vida saudáveis

No âmbito deste grande evento, que deverá trazer à cidade mais de 4.000 atletas de mais de 300 universidades europeias, vai ser assinado hoje (9 de fevereiro), às 9h30, no Centro de Neurociências e Biologia Celular (CNC) da UC, um protocolo entre esta entidade e o Comité Organizador dos Jogos Europeus Universitários de Coimbra que visa promover estilos de vida saudáveis e investigação biomédica aplicada ao desporto.

O protocolo vai ser assinado pelo presidente do CNC, João Ramalho-Santos, e pelo secretário-geral do Comité Organizador dos EUG, Mário Santos.

O projeto europeu “FOIE GRAS”, focado na formação de cientistas e no desenvolvimento de novas tecnologias para investigar o Síndrome do Fígado Gordo Não-Alcoólico (SFGNA), em conjunto com investigadores de outras áreas do CNC, vai desenvolver com os EUG ações de comunicação de ciência sobre metabolismo, nutrição e atividade física, no recinto dos jogos e na cidade.

 O “FOIE GRAS” investiga o SFGNA que afeta seis a 37 por cento da população mundial. Os sintomas evidenciam-se em fases tardias, quando se apresenta incurável, contribuindo para o aumento do risco de diabetes, cirrose hepática e cancro. A doença é atualmente diagnosticada através de biópsia do fígado, um procedimento invasivo, arriscado e caro, situação a que o projeto procura dar alternativa.

A colaboração com os EUG insere-se nesta preocupação de saúde pública e de desporto para todos, aliados a uma comunicação democrática do saber produzido em instituições de investigação”, explica o CNC.

Recorde-se que os EUG vão decorrer em Coimbra de 15 a 28 de julho. São esperados na cidade cerca de 4.000 atletas de mais de 300 universidades europeias, de cerca de 40 países, que irão competir em 13 modalidades.