Santo António dos Olivais: uma freguesia com vida

/, Coimbra/Santo António dos Olivais: uma freguesia com vida

Assegurar que Santo António dos Olivais é “Uma Freguesia com Vida” é o desafio permanente do atual executivo, liderado por Francisco Andrade. O autarca defende que este slogan “não é para ficar apenas no papel” e, nesse sentido, quer continuar a promover atividades que dinamizem a freguesia e que promovam a qualidade de vida e o bem estar da população.

O ano de 2018 será rico em atividades. O programa contempla, como dá conta o presidente da Junta, um conjunto vasto de iniciativas, que se irão juntar àquelas que são já uma referência nesta freguesia, onde se destacam as direcionadas à população sénior e que envolvem mais de 400 pessoas.

Consciente de que o lazer, a cultura e o desporto são essenciais a um envelhecimento ativo e saudável, o presidente dos Olivais quer continuar a assegurar eventos que promovam o convívio e combatam o isolamento, assegurando, simultaneamente, “benefícios a nível mental e contribuindo para que se sintam mais jovens”.

O Coro (com cerca de 30 elementos), as Marchas Populares, os convívios, os passeios e o desfile de Carnaval são alguns dos eventos que envolvem a comunidade e que mostram como esta é uma freguesia dinâmica. A Romaria do Espírito Santo, a recriação da feira à moda antiga, bem como outras atividades que envolvem as crianças e coletividades da freguesia são também momentos marcantes em Santo António dos Olivais.

Pretendemos manter todos estes eventos que têm longa tradição e queremos melhorar outros, dando-lhes uma dimensão maior e tornando-os ainda mais atrativos”, assegura Francisco Andrade.

O presidente quer também valorizar a zona do Vale das Flores, uma área “com um movimento enorme, onde circulam milhares de pessoas por dia”. Os Santos Populares deverão surgir, portanto, este ano, com novo esplendor, sendo intenção do executivo “transformar esse evento numa espécie de segunda Romaria do Espírito Santo mas com caraterísticas diferentes”, onde as pessoas possam dançar, encontrar alguma gastronomia e outras atrações que assegurem momentos de diversão e lazer para toda a família.

Coimbra já se habituou àquela área e é preciso dar-lhe outra dignidade. Queremos dar uma vivência bastante grande aquela zona”, assegura.