Festival do Arroz e da Lampreia regressa a Montemor mais atrativo e diversificado

/, Região/Festival do Arroz e da Lampreia regressa a Montemor mais atrativo e diversificado

O Festival do Arroz e da Lampreia – Sabores do Campo e do Rio regressa hoje (2 de março) a Montemor-o-Velho para 10 dias dedicados à gastronomia, aos produtos endógenos e tradicionais e também à animação. Cada vez mais saboroso, apresenta-se com algumas novidades, distribuídas por uma área de exposição renovada e com novas e deliciosas atrações.

Bem conhecido do público, o Festival do Arroz e da Lampreia – Sabores do Campo e do Rio continua a apostar na promoção dos produtos endógenos e tradicionais de Montemor-o-Velho. A partir de hoje e até 11 de março, todos são convidados a embarcar numa emocionante “viagem pela cultura, pela tradição e pela deliciosa gastronomia e doçaria regional do Baixo Mondego”.

Apresentado na segunda feira, o festival surge, como explicou o presidente do Município, Emílio Torrão, cada vez mais saboroso, procurando “manter o nível de qualidade elevado, a que já nos habituaram as nossas associações”. Absolutamente consolidado, o evento aposta em algumas inovações para ir ao encontro das necessidades dos milhares de visitantes e para afirmar estes 10 dias de celebração da gastronomia e da cultura como uma “referência indelével na agenda gastronómica nacional” que “promete uma experiência inesquecível de sabores, tradição e cultura, sublinhando a aposta na promoção de produtos autênticos, genuínos e enraizados na cultura de Montemor-o-Velho”.

Todos estes sabores e tradições voltam a estar distribuídos pelo centro da vila, numa tenda gigante que conta com 3.200 metros quadrados. A par com a oferta habitual, onde o arroz carolino do Baixo Mondego e a lampreia pescada no Rio Mondego são as principais “estrelas”, o festival conta este ano com algumas novidades, a começar pela presença de quatro petisqueiras que, à semelhança do que aconteceu já na Feira de Ano, ganham aqui um espaço de destaque. Tal como sucede nas quatro tasquinhas onde vão ser servidas as refeições, nas petisqueiras são também as associações concelhias que vão presentear o público com uma vasta oferta de petiscos e iguarias caraterísticas da região. “Criámos uma alternativa para quem, não vindo fazer uma refeição ao festival, gosta de saborear um petisco num ambiente de convívio”, explica Emílio Torrão, salientando também a importância que estas participações têm para as coletividades locais, permitindo-lhes que se “autofinanciem”, angariando assim receitas extra que as ajudem no desenvolvimento das suas atividades e projetos.

A presença de um restaurante com carne marinhoa é outra das novidades desta edição. Desta forma, o Município “fomenta a diversidade da oferta” e proporciona mais possibilidades de escolha a quem não é apreciador da famosa lampreia. Sendo este um produto do concelho, a sua presença no festival é também, como sublinhou o autarca, “uma forma de o valorizar”, sendo da responsabilidade da Câmara selecionar as ementas e havendo a obrigatoriedade de que apenas seja utilizado arroz carolino do Baixo Mondego, que o Município considera “o melhor do mundo”, sendo um produto com Indicação Geográfica Protegida (IGP).

A autarquia apostou também na melhoria das condições existentes na tenda, de forma a proporcionar mais comodidade tanto a visitantes como a quem prepara as deliciosas iguarias. As cozinhas têm assim uma tenda própria e os grelhados passam a ser feitos em churrasqueiras providenciadas pela organização. Quanto aos visitantes, contam com um espaço de sala “mais convidativo”.

O festival vai proporcionar assim uma deliciosa viagem pelos sabores do Baixo Mondego, numa “homenagem à memória e identidade” das suas gentes. Tendo como cenário o belo Castelo, os visitantes vão poder, então, saborear uma boa refeição nas quatro tasquinhas, um bom petisco nas quatro petisqueiras e, para deliciar os mais gulosos, não faltam os doces conventuais e típicos do concelho, como o reconfortante arroz doce, as queijadas de Pereira, as espigas de Montemor ou os pastéis de Tentúgal.

A tudo isto junta-se ainda o artesanato, numa tenda que vai reunir perto de duas dezenas de artesãos do concelho. Destaque também para os postos de venda de arroz carolino do Baixo Mondego, para o espaço dedicado aos bares, para o espaço “Cozinha ao Vivo”, para o mercadinho de hortícolas e para o já habitual espaço infantil Morlândia, onde os mais novos encontram muitas e variadas atrações para se divertirem durante estes dias.

Tal como tem sido habitual, o festival estende-se também a oito restaurantes do concelho que, durante este mês, vão dar especial destaque nas suas ementas aos sabores do campo e do rio, valorizando também os produtos endógenos da região.

Promovido pelo Município, com o apoio do Turismo Centro de Portugal e do associativismo local, o Festival do Arroz e da Lampreia reafirma assim a “a aposta na promoção de produtos autênticos e genuínos, diretamente dos produtores e pescadores, apelando aos sentidos de quem visita e não esquece os sabores do campo e do rio”. Emílio Torrão enaltece o envolvimento das associações do concelho neste evento, onde voltam a mostrar que este festival “é diferente porque é feito com a entrega de todos e todos querem mostrar o melhor de si, do concelho, da gastronomia, da cultura e do património”.

O presidente congratula-se pelo facto de, nos últimos anos, ter sido possível “revitalizar e trazer uma nova dinâmica ao festival”, evento que “é um sucesso, que não tem mais por onde crescer [em termos de espaço] mas que tem que continuar a inovar”.

O festival é inaugurado hoje às 19h00. Vai funcionar de segunda a quinta feira e também ao domingo das 12h00 às 24h00. Às sextas e sábados abre às 12h00 e encerra às 02h00.

Música, desporto e visitas guiadas enriquecem festival

Nem só de boa gastronomia se faz o Festival do Arroz e da Lampreia. De hoje a 11 e março, há também muitas atrativas propostas para desfrutar de Montemor-o-Velho. Para além das deliciosas iguarias que podem ser degustadas na tenda gigante que se encontra no centro da vila, os visitantes contam ainda com um programa de animação reforçado, assegurado também pelas coletividades concelhias. Estão previstos momentos lúdicos a todas as horas de grande afluência, com atuações musicais e representações etnográficas.

O desporto também se associa ao evento, sendo de destacar o Torneio de Futsal Interfreguesias, o 2.º Night Urban Trail Castle e a apresentação da Marca do Campeonato do Mundo de Canoagem de Velocidade.

Num convite para que conheçam alguns dos espaços emblemáticos do concelho, o programa do festival integra ainda visitas guiadas para grupos ao Castelo e ao centro histórico, nos dias 18, 19, 25 e 26, às 10h30 e às 15h30, estando a participação sujeita a inscrição, através do telefone 239 680380 ou do e-mail geral@cm-montemorvelho.pt.

O festival aposta também na comodidade dos visitantes, assegurando fraldário, acessos e lugares de estacionamento melhorados, serviço de multibanco, wc’s para pessoas com mobilidade reduzida e wi-fi. Haverá, ainda, uma aplicação que pode ser descarregada na internet e que contém as coordenadas do evento, a localização, o programa de animação e a referenciação dos diferentes espaços.