Instituto Pedro Nunes entre as melhores incubadoras do mundo

/, EMPRESAS/Instituto Pedro Nunes entre as melhores incubadoras do mundo

A Incubadora do Instituto Pedro Nunes (IPN) acaba de alcançar o quinto lugar num ranking de melhores incubadoras de base universitária do mundo conduzido pela UBI Global, uma entidade de investigação e consultoria sueca amplamente reconhecida por avaliar e reunir as melhores incubadoras a nível mundial.

Esta distinção foi atribuída na sexta feira passada, na World Incubation Summit 2018, uma conferência internacional que decorreu na Ryerson University, em Toronto, no Canadá, e que reuniu um grupo exclusivo e selecionado de programas de incubação de empresas ligados a universidades de todo o mundo.

O “Top 5 das Melhores Incubadoras do Mundo” resulta do UBI World Benchmark Study 2017-2018, um estudo comparativo que abrangeu 1370 programas de incubação e aceleração ligados a universidades, oriundos de 53 países, cujo objetivo é destacar e apresentar o desenvolvimento da indústria de incubação, bem como mostrar as suas tendências tecnológicas e impacto no ecossistema das startups e na economia em geral.

O Instituto Pedro Nunes foi criado em 1991, por iniciativa da Universidade de Coimbra e é uma instituição privada sem fins lucrativos que visa promover a inovação e a transferência de tecnologia, estabelecendo a ligação entre o meio científico e tecnológico e o tecido produtivo.

Pela incubadora do IPN já passaram algumas das mais importantes empresas tecnológicas de Portugal, como a Critical Software, a WIT Software, a Crioestaminal, a Active Space Technologies, a Take the Wind ou a FEEDZAI.

Em 2010 alcançou o prémio internacional de melhor Incubadora de Base Tecnológica do mundo no Concurso Internacional “Best Science Based Incubator”, organizado pela “The Technopolicy Network”.

O IPN acolhe, desde finais de 2014, o ESA BIC Portugal, um dos quinze atuais centros de incubação da Agência Espacial a nível europeu. Nesta estrutura são apoiadas startups que empregam tecnologias espaciais em utilizações industriais e comerciais não espaciais.

De acordo com os dados divulgados, desde 1996, o IPN apoiou 287 empresas e criou 2.200 postos de trabalho altamente qualificados.