Olivais FC retoma eventos antigos para unir comunidade e promover convívio

/, Coimbra, Desporto/Olivais FC retoma eventos antigos para unir comunidade e promover convívio

No ano em que celebra 83 anos de vida, o Olivais Futebol Clube retoma alguns dos eventos que marcaram a sua história. Os tradicionais bailes da Passagem de Ano e as celebrações dos Santos Populares são alguns dos acontecimentos que, décadas depois, o clube pretende recuperar, promovendo assim o encontro e confraternização entre a vasta “família olivanense” e atraindo maiores atenções para esta coletividade histórica que acolhe mais de 200 atletas e que tanto precisa do apoio da comunidade.

Palco desportivo de excelência, como o testemunham os muitos troféus conquistados e as centenas de atletas que acolheu ao longo destas mais de oito décadas, o Olivais Futebol Clube (FC) assumiu-se também como um espaço social de eleição, ponto de encontro e de celebração entre amigos e populares do antigo bairro dos Olivais.

Desde que foi fundado, a 6 de fevereiro de 1935, o “típico clube de bairro” serviu as mais diversas funções, sendo a social, a par com a desportiva, uma das mais importantes. É precisamente essa vertente que o clube pretende retomar, relançando alguns dos eventos que marcaram a sua história e que podem agora, numa altura em que são conhecidas as dificuldades financeiras que atravessa, ajudar a revitalizar o Olivais, envolvendo mais a “família olivanense” na vida da coletividade e sensibilizando a própria comunidade para o trabalho que desenvolve em prol do desporto, dos jovens e da cidade.

O tradicional baile de final do ano, que não se realiza desde 1979, e os festejos dos santos populares, em especial do Santo António (padroeiro da Freguesia), são dois dos eventos que estão já a ser preparados e que foram anunciados esta terça feira por Jaime Carvalho e Silva, presidente do clube, e por Carlos Daniel, Fernando Fernandes e António Piriquito, os três elementos da comissão que está a organizar o programa comemorativo dos 83 anos do clube, que tem o seu ponto alto amanhã, com um almoço convívio (ver caixa).

O Olivais pretende, assim, “voltar aos tempos antigos, aos anos 70 e 80” do século passado, retomando algumas das festas que marcaram tantas gerações. A par com a dinâmica desportiva, onde envolve atualmente 203 atletas (sendo um dos clubes do país com maior número de atletas federados), pretende privilegiar também a vertente social e do convívio, de forma a atrair mais pessoas para o pavilhão e a sensibilizá-las para o importante trabalho que aí é feito diariamente com as camadas mais jovens, em condições que, como assume Jaime Carvalho e Silva, estão “longe de ser as ideais”, a começar pelo estado de degradação em que se encontra o pavilhão que, com mais de meio século de história, há muito precisa de “uma intervenção urgente”.

Carlos Daniel espera que estas realizações possam trazer maior visibilidade para o clube e que isso se possa traduzir também em apoios externos. “O Olivais é um pequeno grande clube da cidade que tem um pavilhão com 52 anos que precisa de ser renovado. É um clube que nasceu num pequeno bocadinho de terreno, que se mantém até hoje e que merece que olhem mais para ele”, frisa. Recorda que este projeto resultou de “muito trabalho e muita persistência dos seus fundadores”, homens que “é preciso honrar”, e que se mantém até à atualidade graças ao empenho de muitas e muitas gerações que tudo fizeram para ultrapassar as dificuldades que foram surgindo pelo caminho.

Depois das celebrações do aniversário, a comissão prepara os festejos do Santo António, que irão decorrer no recinto exterior do pavilhão, com tudo aquilo que é típico dos Santos Populares, como os bailaricos, as sardinhas e os grelhados.

No final do ano, o destaque vai para o baile à moda antiga, no pavilhão, onde todos são convidados a entrar em 2019 num ambiente de grande festa. De acordo com Fernando Fernandes, o evento vai recriar os tradicionais bailes que fizeram história e que foram interrompidos no final da década de 70, tendo havido anos em que contaram “com 12 grupos musicais na mesma noite e uma afluência que obrigou a fechar portas”.

Queremos reunir a família olivanense que ao longo dos anos se foi dispersando e toda a comunidade dos Olivais”, sublinhou Fernando Fernandes. Estarão à disposição mesas para as famílias, que poderão levar a “bucha” e passar aí toda a noite. Neste momento, a comissão está já a contactar grupos musicais para esta noite que será aberta a quem quiser participar, mediante pagamento de entrada, sendo que, em caso de lucro, este reverterá para apoiar o clube.

Para além destes dois eventos, o Olivais FC pretende retomar também as habituais galas anuais, que premeiam o mérito e dedicação.

A comissão vai lançar ainda uma campanha de angariação de novos associados e está a trabalhar na sua remuneração, de forma a ter informações atualizadas. De momento, o Olivais FC conta com cerca de 350 sócios, número que, numa primeira fase, pretende fazer chegar aos 500. A campanha será de grande proximidade, com divulgação “porta a porta” e informações afixadas no próprio pavilhão, num apelo aos pais que aí deixam os filhos para os treinos.

Jaime Carvalho e Silva assume que a sobrevivência é “muito difícil” e considera que “os pais são os principais patrocinadores do clube”, agradecendo também a ajuda constante da Junta de Freguesia de Santo António dos Olivais.

Espera que “estas atividades revivalistas possam trazer maior visibilidade para o Olivais FC e também mais pessoas, ajudando-o a revitalizar e a dinamizar”.