Estilos de vida saudável podem reduzir risco de Alzheimer

/, Saúde/Estilos de vida saudável podem reduzir risco de Alzheimer

A adoção de estilos de vida saudáveis podem ajudar a reduzir o risco da doença de Alzheimer ou outras formas de demência. Ana Margarida Cavaleiro, diretora do Departamento de Formação e Projetos da Associação Alzheimer Portugal, explica que, “apesar de não podermos garantir que ao melhorar esses hábitos, não desenvolva esta doença, alguns estudos recentes têm vindo a evidenciar que as pessoas que adotam estilos de vida saudáveis têm um risco reduzido de vir a desenvolver demência”.

Num artigo divulgado, sublinha a importância de ter um cérebro saudável. “Não se sabe ainda como se pode prevenir, ou curar a demência, mas existem muitas coisas que se pode fazer para manter o cérebro saudável com o avançar da idade, tais como manter o cérebro ativo, adquirir uma alimentação equilibrada e saudável, optar pela prática de exercício físico, por uma vida social mais ativa e pela realização de checks-ups regulares”, realça.

Ao manter o cérebro ativo, o indivíduo está também “a fortalecer as ligações entre as células cerebrais, contribuindo para uma mente saudável”. Ana Margarida Cavaleiro sugere, por exemplo, a realização de atividades que envolvam novas aprendizagens, como jogos de raciocínio (palavras cruzadas, puzzles de letras e números, xadrez, damas ou cartas), leitura, escrita, diálogo, uso do computador ou a aprendizagem de uma nova língua.

Quando se fala na aquisição de uma alimentação equilibrada, o facto de reduzir as gorduras saturadas, escolher carnes magras e produtos lácteos com pouca gordura, evitar a manteiga, os alimentos fritos, doces, bolos e bolachas, contribui para o zelo da sua saúde e, ao mesmo tempo, do seu cérebro”, acrescenta.

No que diz respeito à prática de exercício físico, recomenda a realização de exercícios como andar, dançar, correr, andar de bicicleta, nadar ou praticar yoga. Na sua opinião, realizar uma destas atividades pelo menos 30 por dia, “pode ser suficiente para reduzir o risco de desenvolver demência e a probabilidade de desenvolver doenças cardíacas, derrames e diabetes”.

Ana Margarida Cavaleiro sugere ainda que se façam check-ups regulares, de forma a que possam ser detetados eventuais problemas assim que eles surjam, o que torna o seu tratamento mais fácil.

O importante é que se lembre da sua memória em todas as idades, ao apostar nestas pequenas atividades realizadas em conjunto no dia a dia, de forma a maximizar os seus benefícios, garante assim resultados bastante mais favoráveis”, alerta.