NOTA DE RODAPÉ

//NOTA DE RODAPÉ

ACADÉMICA – QUE MAIS QUERES TU?

Conseguiste a estabilidade diretiva necessária, o dinheiro suficiente, um treinador ambicioso, uma equipa capaz, os bons resultados, a classificação desejada. O cenário perfeito para atingir o objetivo principal!

Querias a mobilização da cidade, o pessoal mexeu-se, movido por convites e entradas grátis, crente na tua capacidade e ciente de que a oportunidade não era para desperdiçar. O estádio encheu-se para a tua consagração, o adversário era do meio da tabela, estavas avisada para todos os perigos, sabias que tinhas de defender bem e atacar com critério.

Ganhar era o mínimo, nem que fosse por meio a zero, para manter a chama viva até ao último segundo da jornada derradeira. Dependias de ti, da capacidade de gerires fantasmas e ansiedades, de seres profissional. A cidade conferiu-te todo o crédito, julgou-te capaz de defenderes o torrão que te viu nascer.

Mas tu, Académica, falhaste. Contra todas as previsões, perdeste o jogo mais fácil de ganhar, o pássaro que tinhas na gaiola fugiu e, com ele, uma oportunidade que dificilmente se voltará a repetir nos próximos tempos para te guindares ao escalão competitivo que Coimbra e Região merecem.

Que querias tu Académica? Que o Cova tivesse piedade e não te abrisse o túmulo se a oportunidade para tal surgisse? Que abdicasse de competir pelos teus pergaminhos e símbolos? Que te dissesse ámen a cada ataque que desferisses, facilitando-te o caminho?

Onde andaste na tarde do passado sábado? Que mais queres tu Académica? Que mal fizeram os teus sócios, simpatizantes e patrocinadores para lhes dares tão profundo desgosto?

Sim, Académica. Que mais queres tu?

JOÃO PINHO