Expofacic continua a crescer e a inovar

/, Região/Expofacic continua a crescer e a inovar

Continuar a ser “a maior e a melhor feira do país” é o objetivo da Expofacic 2018, certame que volta a agitar Cantanhede de 26 de julho a 5 de agosto. Com um orçamento de 1,6 milhões de euros, continua a apostar na inovação para seduzir cada vez mais visitantes e mantém todas as atrações que o projetaram a nível nacional e internacional. A organização espera registar cerca de 385 mil entradas nos 11 dias de festa.

Quinhentos expositores, distribuídos por 600 espaços de exposição; um cartaz de espetáculos que integra alguns dos nomes mais sonantes do panorama musical nacional e internacional; e a estreia nacional da exposição sobre o Titanic são apenas algumas das muitas atrações da Expofacic.

Apresentado na semana passada, o certame aposta este ano, como explicou Helena Teodósio, presidente da Câmara Municipal de Cantanhede, na “crescente valorização de quatro eixos” fundamentais – música, gastronomia, negócios e exposições.

À semelhança do que tem acontecido nos anos anteriores, a autarca destaca a preocupação de continuar a “inovar e renovar os fatores de atratividade, preservando sempre o essencial daquela que é a identidade da Expofacic, uma entidade distintiva e marcante a nível nacional”.

Helena Teodósio considera que “a qualidade e variedade da oferta” nestes setores chave têm potencial para “entusiasmar públicos de todas as idades” que, nestes 11 dias, vão ter oportunidade de desfrutar não só de toda a animação do recinto, como também de conhecer as empresas do concelho e do país que aí vão explorar oportunidades de negócio e promover os seus produtos.

A autarca enaltece, ainda, o forte envolvimento concelhio nesta realização, onde há lugar para todos, desde as empresas, aos artesãos, às escolas, às juntas de freguesia, às coletividades e instituições, sendo por isso uma montra viva e dinâmica do que de melhor há no Município de Cantanhede. No seu entender, trata-se, portanto, de “um produto turístico estruturado que gera receitas e estimula dinâmicas vantajosas para o setor a vários níveis, sem esquecer a visibilidade que dá a alguns dos mais importantes fatores de atratividade turística do concelho e da região”.

11 dias para desfrutar em Cantanhede

A Expofacic volta a apostar num programa recheado e diversificado, com 11 dias de atividades para todos os gostos e idades. A estreia da exposição “Titanic – A reconstrução” é uma das grandes novidades desta edição, ao reunir, numa tenda com 1.500 metros quadrados, 10 núcleos sobre o grande navio que naufragou em 1912, bem como uma maquete em grandes dimensões da famosa embarcação. Durante a apresentação do programa, Idalécio Oliveira, presidente da empresa municipal Inova, disse que esta é “uma exposição muito interessante”, que deverá agradar a públicos de todas as idades e que vem enriquecer a Expofacic, que considera a “maior e mais variada feira-exposição do género que se realiza em Portugal”.

Neste setor expositivo, anunciou ainda a realização de uma exposição sobre a arte de trabalhar o vidro, onde estarão mestres vidreiros a demonstrar ao vivo a técnica do seu trabalho, e o regresso das já habituais exposições sobre o mundo aquático e espécies exóticas.

O cartaz de espetáculos continua a ser um dos grandes fatores de atração da Expofacic. Helena Teodósio considera que, este ano, se mantém “ao nível dos melhores festivais do país”. Recorde-se que os artistas foram sendo anunciados à medida que se concretizavam as contratações. Vão passar pelo palco principal Slow J e Club Banditz (26 de julho); Marcelo D2 e Beatbombers (27 de julho); Dire Straits Experience, que partilharão a noite com artistas portugueses que irão lembrar os anos 80 e 90, como Miguel Ângelo, Xana, Viviane, Lena d’Água, Ana Deus, Rui Pregal da Cunha e Luís Portugal, Ana Bacalhau e Samuel Úria (28 de julho); Tony Carreira (29 de julho); HMB e Piruka (30 de julho); The Waterboys e José Cid (31 de julho); Ana Moura (1 de agosto); Calema e Nelson Freitas (2 de agosto); Miguel Araújo e Os Azeitonas (3 de agosto); Mastiksoul e James Artur (4 de agosto); e Xutos & Pontapés (5 de agosto). Numa vertente mais humorística, estão também confirmados os espetáculos de “stand-up comedy” de Vasco Palmeirim e Nuno Markl a 28 de julho e de Eduardo Madeira e Manuel Marques a 1 de agosto.

A nível expositivo mantêm-se os cerca de 500 expositores, com uma oferta abrangente, sendo de destacar as 47 tasquinhas, que proporcionarão a todos uma deliciosa “viagem” pelos sabores da gastronomia regional.

De uma forma geral, a Expofacic continua a apostar em tudo o que tem contribuído para a sua afirmação, como o acampamento para 500 pessoas; o serviço Expofacic Bus (este ano com uma nova linha, que reforça a ligação à Praia da Tocha); 15 parques de estacionamento para visitantes, um para autocarros e dois para expositores; circuito interno de televisão e sonorização; internet gratuita em todo o recinto; hospital de campanha e posto de primeiros socorros; fraldários e pulseiras identificativas para todas as crianças; 11 jardins; sete palcos; e sistema de limpeza geral. Mantêm-se também os dias temáticos, com o destaque especial para o “Dia Verde”, a 4 de agosto, no âmbito da aprovação da candidatura ao programa “Sê-lo Verde” que, como explicou Idalécio Oliveira, salvaguarda a adoção de diversas medidas ambientais durante o certame, como a distribuição de copos reutilizáveis e a colocação de três pontos de água potável no recinto.

A Comissão Organizadora – Município de Cantanhede e Inova – destacou, ainda, o facto de, há vários anos este ser um evento sustentado, não havendo qualquer subsídio por parte da autarquia à sua realização. Esperam que o sucesso se mantenha este ano, bem como as cerca de 385 mil entradas registadas nos anos anteriores. Os bilhetes mantêm-se nos quatro euros, com a exceção de 4 de agosto, em que custam 10 euros. Quem optar pelo passe geral paga 35 euros.

A Expofacic conta com o apoio do Turismo Centro de Portugal. Presente na apresentação, o presidente daquela entidade, Pedro Machado, considerou que esta feira/festa é um “ícone fortíssimo” e um “fator distintivo” que possibilita que se gerem negócios e com forte capacidade de atrair turistas, que podem permanecer na região durante vários dias.