Feira Cultural de Coimbra abre hoje no Parque da cidade

/, Coimbra/Feira Cultural de Coimbra abre hoje no Parque da cidade

A Feira Cultural de Coimbra abre hoje (1 de junho), às 14h00, no Parque Dr. Manuel Braga. Mais de 200 expositores vão distribuir-se por aquele belo jardim da cidade, presenteando o público com uma mostra diversificada, onde sobressaem os livros, o artesanato, a gastronomia, as artes plásticas e a animação, numa celebração da cultura que se prolonga até 10 de junho.

A Feira Cultural de Coimbra continua a crescer e começa a faltar espaço que lhe permita receber mais expositores. Este ano são 208 os participantes que, de hoje a 10 de junho, vão surpreender os visitantes com uma oferta cultural ampla e multidisciplinar, que reúne atrações para públicos de todas as idades.

Durante a apresentação do evento, o vice-presidente da Câmara de Coimbra, Carlos Cidade, destacou a grande crescimento que a feira tem registado nos últimos anos, o que “evidencia a forte atratividade que tem, tanto junto dos expositores como do público”. Enalteceu que serão “10 dias de grande festa e diversidade cultural”, num certame que há muito se assume como “uma referência da cidade e da região para o mundo”, que é uma “oportunidade para os artesãos e artistas locais mostrarem o seu trabalho” e que “proporciona aos cidadãos o usufruto do espaço e de todas as componentes culturais” que reúne durante estes dias.

Carina Gomes, vereadora da Cultura do Município, destacou a diversidade da programação e sublinhou algumas das novidades introduzidas, que surgem na sequência do inquérito realizado todos os anos aos expositores da feira. Assim, nesta edição, os visitantes vão poder contar com mais animação de rua, mais eventos de demonstração e workshops e mais espaços de estar, lazer e descanso. Anunciou, ainda, a realização de um Mercado Rural, onde serão expostos e comercializados produtos da região; mais provas de degustação; e uma “atenção especial à promoção dos produtos nacionais”, através de eventos pioneiros, como oficinas e seminários, que serão protagonizados por artesãos.

Tal como tem sido habitual nos últimos anos, a feira cruza literatura, artesanato, gastronomia, música, artes plásticas, cultura e criatividade, contanto também com a participação de diversas instituições, num total de 208 representações.

Artesanato com 12 novos artesãos

De acordo com Carina Gomes, o setor do artesanato continua a crescer e conta este ano com 12 novas participações. Ao todo são 90 os artesãos presentes, que irão trazer ao recinto as mais diversas formas de arte, numa mostra que procura interligar técnicas ancestrais com outras de cariz mais contemporâneo.

O setor do livro conta com 57 participações, numa montra que vai espelhar a realidade da edição portuguesa, onde, para além da exposição e venda das principais novidades editoriais e das edições antigas, os visitantes vão poder assistir também à apresentação de livros e sessões de autógrafos.

Na área da gastronomia, setor muito atrativo e concorrido, estão 29 participantes, que vão estar distribuídos por todo o parque, convidando o público a saborear uma grande diversidade de iguarias, desde os sabores das Beiras, doçaria regional e grande oferta de “street food”, aos quais se junta ainda o serviço de restaurantes e zonas privilegiadas de lazer.

Já o setor das Artes Plásticas, Edições Musicais e Cultura conta com a participação de 23 expositores.

A “VinylFest” é outra das novidades desta Feira Cultural. De 8 a 10 de junho, reúne lojas de vinil e equipamentos, distribuidoras e editoras independentes nacionais que vão comercializar discos (antigos e novos) e outras recordações de época. Haverá também atuação de Dj’s, workshops e uma exposição de capas dos discos mais representativos da música portuguesa.

As “24 Horas Culturais”, na última noite, é outro dos marcos desta realização. Este ano é dedicada ao tema “Corpo Multimédia” e vai trazer à feira manifestações culturais e criativas ininterruptas.

O trólei e o histórico autocarro de dois pisos continuam a ser também duas das grandes atrações, tanto para miúdos como graúdos.

A par com esta vasta oferta expositiva, decorre, durante os 10 dias, um amplo programa, que integra conferências, concertos, tertúlias, atuações de Dj’s, showcooking, um workshop de cerâmica e pintura, montagem de um exploratório, jogos, teatro e muitas outras iniciativas para todas as idades.

A animação volta a centrar-se em dois palcos – o do Coreto que irá acolher os principais eventos de música, etnografia e teatro; e o dos Livros, onde se destaca a realização de um Sunset, a Noite do Bitoque, o espetáculo performativo Arte Crua e outras atividades diárias, ligadas também à música, à dança, ao teatro e à moda.

Aguarda-se, portanto, como realça a autarquia, que estes sejam “10 dias de empolgante produção cultural e artística”, que propiciem a promoção do trabalho dos agentes culturais locais e a satisfação dos munícipes e de “todos quantos escolham a cidade como ponto de paragem ou destino turístico nos primeiros dias de junho”.

A Feira Cultural de Coimbra vai funcionar de segunda a quinta feira das 14h00 às 22h30, à sexta das 14h00 às 24h00, aos sábados das 11h00 às 24h00 e aos domingos das 11h00 às 22h30. Trata-se de um certame “para a cidade, para a região e para o país”, uma feira para “valorizar a cultura e para valorizar Coimbra”.