Mundial de Futebol: António Costa desejou “o melhor” à seleção nacional

/, Desporto/Mundial de Futebol: António Costa desejou “o melhor” à seleção nacional

O primeiro-ministro português, António Costa, disse, na terça feira, que Portugal tem razões para ter todo o otimismo na participação da seleção no Mundial2018 de futebol e que o título de campeão europeu não deve pesar na Rússia.

Desejei obviamente o que todos os portugueses desejam à seleção, o melhor. Independentemente do resultado final, que todos desejamos que seja o melhor, é fundamental que todos eles se realizem enquanto excelentes profissionais que são, que seguramente representarão Portugal com toda a dignidade e todo o profissionalismo como têm feito”, disse.

Estas declarações foram proferidas depois da visita que o governante fez à seleção portuguesa, na Cidade do Futebol, em Oeiras, manifestando ainda a importância de “entrar em campo com a alegria, o saber jogar e a qualidade que estes profissionais sempre demonstraram, quer ao serviço da seleção nacional, quer ao serviço dos seus clubes”.

Temos todos os motivos para encarar este Mundial com todo o otimismo, toda a confiança, com uma enorme honra que é estarmos novamente no Mundial”, sublinhou António Costa, elogiando ainda o trabalho da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) e da seleção, que considerou um “excelente exemplo do que deve ser o futebol e o desporto, que deve ser profissionalismo, dedicação, esforço, mas um grande ‘fair play’, que estes profissionais sempre têm demonstrado e vão demonstrar na Rússia”.

João Moutinho ambicioso

João Moutinho, o segundo atleta com mais internacionalizações entre os 23 escolhidos para o Mundial2018 (109), apenas atrás de Cristiano Ronaldo (149), confessou, na segunda feira, que, no início da carreira, não previa alcançar o sucesso que alcançou com a seleção portuguesa de futebol, mas assegurou que os jogadores lusos não pretendem “ficar por aqui”. Disse ainda que a sua carreira tem sido “feita de desafios”, sendo o próximo o Mundial da Rússia.

O médio do Mónaco, de 31 anos, falava em conferência de imprensa, antes de mais um treino do conjunto das ‘quinas’, na Cidade do Futebol, já com a presença do ‘capitão’ Cristiano Ronaldo, o último a integrar o estágio. Ontem, já após o fecho desta edição, a equipa defrontou a Argélia no Estádio da Luz, naquele que foi o último jogo de preparação antes da partida para a Rússia.

A equipa viaja para a Rússia amanhã (9 de junho) e tem estreia marcada para a próxima sexta feira, dia 15, frente à Espanha, em Sochi.

Além dos espanhóis, Portugal defronta Marrocos a 20 de junho, em Moscovo, e o Irão, de Carlos Queiroz, no dia 25, em Saransk, nos restantes jogos do Grupo B do Campeonato do Mundo, que arranca em 14 de junho e termina em 15 de julho.

Mantém-se o CR7

O capitão Cristiano Ronaldo vai manter o número sete na camisola no Mundial, com André Silva a herdar o ‘9’ de Éder, herói da conquista do Euro 2016. De acordo com a numeração divulgada pela Federação Portuguesa de Futebol, dos 13 campeões da Europa em 2016 que se mantêm nas escolhas de Fernando Santos apenas José Fonte mudou de número, ao trocar o ‘4’ – passa para Manuel Fernantes – pelo ‘6’, que era de Ricardo Carvalho.

De resto, Rui Patrício (01), Bruno Alves (02), Pepe (03), Raphael Guerreiro (05), Cristiano Ronaldo (07), João Moutinho (08), João Mário (10), Anthony Lopes (12), William Carvalho (14), Ricardo Quaresma (20), Cédric (21) e Adrien (23) vão usar a mesma numeração do Europeu de França.