OP dos Olivais: Cidadãos desafiados a apresentarem projetos que beneficiem a freguesia

/, Coimbra/OP dos Olivais: Cidadãos desafiados a apresentarem projetos que beneficiem a freguesia

Os cidadãos da Junta de Freguesia de Santo António dos Olivais são desafiados a apresentarem, até 29 de junho, propostas com vista ao desenvolvimento da freguesia, no âmbito do Orçamento Participativo (OP) Geral e do OP Jovem.

Tal como no ano passado, a Junta disponibiliza 20.000 para estes dois OP (10.000 para cada) e espera, agora, que a comunidade participe e assuma um papel mais dinâmico e interventivo na vida da freguesia, através da apresentação de propostas que possam contribuir para o bem estar e qualidade de vida da população.

Durante a apresentação do OP, que decorreu na terça feira, o presidente da Junta de Freguesia, Francisco Andrade, manifestou o desejo de “trazer o máximo de pessoas a concorrer”, numa participação que não se resuma às coletividades e associações mas que desperte também o entusiasmo dos cidadãos. A Junta quer fazer chegar a informação sobre o OP ao maior número possível de cidadãos e está disponível, como sublinha o autarca, para “esclarecer e tirar qualquer dúvida que surja”, bastando para tal que se dirijam ao edifício da Junta.

Os OP’s Geral e Jovem assumem-se como um mecanismo de democracia participativa que tem como objetivos contribuir para uma maior aproximação das políticas públicas às reais necessidades da freguesia; potenciar o exercício de uma cidadania participativa e responsável; e incentivar a interação entre eleitos e cidadãos na procura de soluções para melhorar a qualidade de vida da freguesia.

O prazo da entrega de candidaturas abriu anteontem e prolonga-se até 29 de junho, devendo as propostas ser apresentadas na sede da Junta. No OP Geral podem participar os cidadãos eleitores da Freguesia de Santo António dos Olivais, individualmente ou em grupo. Já o OP Jovem é aberto apenas a jovens dos 18 aos 30 anos, recenseados na Freguesia ou que estudem em alguma instituição de ensino aí sediada.

O montante de cada proposta não deve ultrapassar os 10.000 euros estipulados. Após a recolha, as propostas vão ser analisadas, de 2 a 9 de julho, por um grupo que integra representantes de todos os partidos políticos com assento na Assembleia de Freguesia. De 10 a 23 de julho decorre o período para reclamações e a apresentação pública acontece a 24 e 25 de julho. Segue-se a votação dos projetos, que será feita através de votação presencial, de 26 de julho a 6 de setembro, na Junta. Os resultados serão depois apresentados publicamente a 11 de setembro.