Festival das Artes abre hoje em Coimbra

/, Coimbra/Festival das Artes abre hoje em Coimbra

Coimbra transforma-se, de 13 a 22 de julho, na “capital” de todas as artes. Inspirada no tema “Amores e Desamores”, fonte “contínua de criação”, a 10.º edição do Festival das Artes volta a espalhar as diversas expressões artísticas por vários espaços da cidade, continuando a Quinta das Lágrimas a ser um dos seus principais palcos.

Promovido pela Fundação Inês de Castro, com o apoio de vários parceiros, o programa estende-se por 10 dias e inclui 24 eventos culturais, distribuídos por sete ciclos – Artes do Palco, Artes Plásticas, Cinema, Conferências, Gastronomia, Música e Serviço Educativo. Assegura, assim, atividades multifacetadas, que pretendem ir ao encontro de públicos de todas as idades, tal como tem sido sua missão desde a primeira edição.

Na apresentação do Festival das Artes 2018, o diretor do evento, Miguel Júdice, sublinha que é com “um misto de orgulho e de sensação de dever público cumprido” que o festival chega à sua 10.ª edição.

O que motiva a nossa equipa desde a primeira hora é a honra de poder criar momentos memoráveis para todos vós, numa genuína missão de serviço público de índole cultural que enriquece a região de Coimbra para benefício dos seus cidadãos e dos visitantes que a vêm descobrir”, realça, dando conta que, ao longo desta última década, o festival organizou centenas de espetáculos, lançou novos talentos, homenageou outros já consagrados, trouxe “o mundo a Coimbra com artistas de todos os continentes” e deu palco também à criação nacional.

Todo este trabalho tem vindo a ser reconhecido com vários prémios. Miguel Júdice enaltece a conquista da “menção honrosa na categoria de Eventos dos Prémios Turismo de Portugal em 2010; o Prémio ‘Melhor Programação Cultural Autárquica’ atribuído à cidade de Coimbra pela Sociedade Portuguesa de Autores em 2011; o ‘Prémio Cultura’ do Diário As Beiras em 2014; o selo de qualidade europeu para os biénios 2015/2016 e 2017/2018 enquanto Remarkable Festival EFFE – Europe for Festivals, Festivals for Europe, distinção concedida pela Associação Europeia dos Festivais”.

Com o tema “Amores e Desamores”, o festival aposta num programa que se inspira nas históricas personagens de Pedro e Inês mas busca também a essência que estas duas palavras reúnem e que se vão traduzir em muitas expressões artísticas que integram a programação que, este ano, dá especial atenção aos artistas nacionais.

Neste ano de celebração optámos por dar ainda maior destaque às artes e aos artistas do nosso país, para assim agradecermos todo o apoio que a comunidade artística nacional sempre nos deu. Sem eles, sem vós, e sem o suporte dos nossos mecenas e amigos, entre os quais queremos destacar a Câmara Municipal de Coimbra, este festival não poderia sobreviver”, realça Miguel Júdice.

O Festival das Artes é inaugurado hoje, às 18h00, na Biblioteca Geral da Universidade de Coimbra, onde abre também a exposição “Tu, só tu, puro amor”, uma mostra iconográfica e bibliográfica que apresenta visões camonianas de Inês de Castro. Segue-se, às 21h30, no Convento S. Francisco, o concerto de abertura “Amor Fatal”, pela Orquestra Filarmónica Portuguesa.

Amanhã, às 18h00, no Edifício Chiado, abre a exposição “Os quadros também namoram”, que reúne trabalhos da pintora Graça Morais; e à noite, às 21h30, a igreja do Convento recebe o concerto “Amores na Diáspora”, do grupo Sete Lágrimas, que traz a Coimbra músicas dos cinco continentes.

No domingo, às 11h00, o Museu Nacional Machado de Castro inicia a “Viagem da Ternura – O Amor Materno do Oriente a Ocidente”, um percurso pelo tema da Virgem e do Menino comentado pelo psicólogo Eduardo Sá, através de algumas obras emblemáticas do Museu e da exposição “Tesouros Partilhados”. Nesse dia destaque para a gastronomia, com um evento que junta, às 20h30, no Hotel Quinta das Lágrimas, os chefs Bruno Antunes, Tiago Bonito, Dionísio Ferreira e Vítor Dias, no momento gastronómico “Amor às Lágrimas”.

O programa continua com eventos diários até ao dia 22, um pouco por toda a cidade – do anfiteatro Colina de Camões ao Rio Mondego – onde se destaca ainda uma sessão de cinema única (Drive-in), atuação de duas orquestras portuguesas, um bailado que entrelaça os amores de Pedro e Inês, workshops e muitas outras atividades. O programa completo está disponível em www.festivaldasartes.com.