“Mundo do vinho” sugere viagem da videira até ao copo

/, Coimbra/“Mundo do vinho” sugere viagem da videira até ao copo

Depois do rescaldo das vindimas, é tempo de falar de vinho. É esta a proposta que a produtora cultural Margarida Mendes Silva faz à cidade de Coimbra de 4 a 30 de outubro com “O mundo do vinho”, um programa que sugere “uma viagem da videira até ao copo”, através de um conjunto de 10 eventos que vão da música ao cinema, passando também pela poesia e arte.

Tertúlia, mostra de vinhos, gastronomia e enoturismo enriquecem também esta vasta programação que vai percorrer sete espaços emblemáticos da cidade de Coimbra – Salão Brazil, Mosteiro de Santa Clara-a-Velha, Museu Nacional de Machado de Castro (MNMC), Teatro da Cerca de São Bernardo (TCSB), Casa da Escrita, Café Santa Cruz e Quinta de São Jerónimo – e que vai chegar também à Bairrada, à Quinta do Encontro, em Anadia, onde, no dia 6 de outubro, a partir das 10h30, os participantes podem conhecer a adega, descobrir como se produz o vinho e degustar os preciosos néctares ali produzidos.

O programa começa, contudo, dois dias antes, já na próxima quinta feira, às 22h00, no Salão Brazil, com um espetáculo musical onde o Coletivo Ciranda vai apresentar o seu projeto “Adivinho – Canções em torno do vinho”, que convida a acompanhar todas as fases da produção.

No dia 11 destaque para a inauguração, às 18h00, no Mosteiro de Santa Clara-a-Velha, da exposição de fotografia “Douro, Lugar de um Encontro Feliz”, onde o sociólogo António Barreto apresenta o seu olhar sobre a região do Douro. Esta mostra vai ficar patente até 30 de novembro.

O vinho na História da Arte: entre o sagrado e o profano” é a proposta para 13 e 27 de outubro, às 11h00. Trata-de de uma visita comentada e orientada por Pedro Miguel Ferrão que vai destacar três obras de arte que se encontram no MNMC e que refletem os aspetos simbólicos do vinho na religião cristã.

Segue-se, no dia 17, às 21h00, no TCSB, a estreia do filme documentário “Setembro a vida inteira”, de Ana Sofia Fonseca. Para além do percurso íntimo das vinhas e das adegas, é também um convite à reflexão sobre a natureza humana, a relação entre os donos da terra e quem a trabalha. A realizadora vai estar presente nesta sessão, estando disponível, no final, para uma partilha de ideias.

No dia 20, às 17h00, na Casa da Escrita, destaque para a poesia, num programa a que se junta a música improvisada do contrabaixista Carlos Barreto para poemas selecionados e ditos pelas vozes de André Gago e Helena Faria, em “As Vinhas da Lira”.

No dia 27 “O mundo do vinho” chega ao Café Santa Cruz onde, às 17h00, começa a tertúlia “Julguemos o vinho na praça pública”, que conta com a participação do vitivinicultor José Bento dos Santos que vai procurar responder à questão “Afinal, o que é gostar de vinho?.

O programa termina a 30 de outubro, a partir das 20h00, na Quinta São Jerónimo, com a “A festa do vinho”, um jantar vínico que promete deslumbrar os mais desprevenidos palatos, numa sugestão gastronómica do restaurante “Dux Bistrot”.

O nosso desejo é que se fale de vinho em sete espaços distintos da cidade, com um saltinho à Bairrada. Vamos ouvir falar de vinho através de diferentes abordagens e protagonistas que, através do seu olhar especial, nos vão permitir fazer uma viagem da videira até ao copo”, explica Margarida Mendes Silva.

A produtora destaca a diversidade dos eventos, bem como o acesso livre da grande maioria e o preço acessível dos restantes. “Queremos garantir o mais possível o aceso e a fruição do público a todos os eventos. O argumento económico não pode ser impedimento para não ir”, assegura, convidando as pessoas “a conhecer, explorar e fruir deste programa”, sendo certo que a sua continuidade dependerá da receção e adesão que tiver junto do público.

Presentes na sessão, José Pedro Soares, presidente da Comissão Vitivinícola da Bairrada, e Bárbara Cunha, gerente da Tasca de Santana (onde decorreu a apresentação), destacaram a grande qualidade e abrangência do programa, que convida a falar de vinho, através de um conjunto de eventos que procura “ocupar o território da cidade”. Mostraram-se também já disponíveis para participarem numa segunda edição.