OPINIÃO

/OPINIÃO

Socorro… quero brincar ao futebol!

Há dias fui assistir a um jogo de futebol infantil e vi o que desejava nunca ter visto: insultos, discussões e ameaças. Havia um clima de tensão (muito perto da violência) no jogo. Como forma de prevenir muitos problemas, no futebol infantil deveria ser obrigatório o seguinte: todas as crianças jogarem o mesmo número de minutos, em cada jogo haver um capitão de equipa diferente, não

TESTEMUNHOS. Tapete castanho-verde.

No outono/inverno é frequente observarem-se árvores com as suas folhas matizadas de castanho-verde. São aprazíveis para a minha vista e, à medida que se vão desprendendo dos braços suspensores, tombam no chão compondo um tapete de beleza ímpar. Nos lugares mais densamente arborizados, os caminhantes espezinham esse manto folheado e sentem, a cada passo, um aconchego difícil de descrever, porque é, ao mesmo tempo, físico e de alma.

Chuvada Literária

Cheguei à cidade debaixo de uma tempestade fria e ventosa que logo fez amanhecer a urbe num ambiente que depressa se tornou caótico. A confusão ia-se multiplicando, nas estradas um trânsito ruidoso, nos passeios um bailado de guarda chuvas que não resistiam à intensidade daquela precipitação. Uma forte nebulosidade parecia esconder o Mondego, suas águas mal se viam ladeadas pelos choupos e arvoredos que dançavam de copas nuas ao sabor de uma ventania molhada, típica

NOTA DE RODAPÉ

BAIXA A SOLDO 1. Após a quadra natalícia a baixa comercial de Coimbra faz contas à vida. Ano após ano o sentimento é, invariavelmente, o mesmo: a época de alguma euforia cede ao balanço feito de desânimos e apontam-se as falhas: desinteresse camarário, insensibilidade da Agência de Promoção da Baixa, falta de condições de apoio, ausência de investidores, encerramento de lojas âncora. Resultado: fuga da população para as grandes superfícies.

Pintoras na mostragem em Coimbra

Emma Henriot passou pela cidade dos estudantes com os seus quadros sem maneirismos e meras adiposidades numa atitude de pintar crítica supletiva pela originalidade e pela virtude de situar o desenho no seu “sítio” que é, por si uma curiosa genealogia nas particularidades de juntar os átomos num trabalho de bom nível. O cromatismo é livre, mesmo sem fiscalização racional, que lhe tira certa fidelidade ao modelo como a pintora embarcasse

Dois livros de 2017 para ler em 2018

Durante o ano de 2017 foram publicados em Portugal vários livros muito interessantes de divulgação científica. Sobre alguns deles fui dando conta neste espaço domingueiro em que vos escrevo sobre ciência. Hoje, vou salientar dois que, embora publicados no final de 2017, são exemplo do melhor que se editou em Portugal e merecem destaque e uma leitura atenta em 2018. Vou apresentá-los, brevemente, por ordem alfabética do

Liberdade para ser

O sentido da vida consiste em que não tem sentido nenhum dizer que a vida não tem sentido.” – Niels Bohr Com esperança. Liberdade. Fraternidade a vida tem realmente sentido! Essa amplitude torna a pessoa ancorada à Humanidade, residindo o segredo, no ser e não ter! Sem isso, a ilusão pode ser fatal! Será uma via sem apelo, em direção ao abismo. Caminhada

CONDEIXA COM MUITO TEATRO E… DENIZ-JACINTO

Começo hoje por dar um abraço a CONDEIXA por continuar a realizar um Festival que é uma homenagem a uma figura cimeira do teatro português: DENIZ JACINTO. Autor, ator, encenador, tradutor, crítico, personalidade relevante da cultura portuguesa, matemático e engenheiro geográfico de formação, dedicou-se com paixão ao teatro. Foi presidente da Associação Académica de Coimbra, do Orfeon, esteve na fundação do TEUC (Teatro dos Estudantes da Universidade de Coimbra onde se destacou como “Diabo”), esteve ligado a diversas

Muito obrigada, Sr. Engenheiro!

Em 1987, ano em que entrei na Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra, a SONAE era já uma grande empresa. Numa das primeiras aulas práticas da cadeira de Introdução à Economia analisámos, detalhadamente, uma entrevista que o Eng.º Belmiro de Azevedo tinha dado recentemente ao jornal Expresso. Já naquela altura apenas dava uma entrevista por ano mas esta merecia ser estudada ao detalhe porque o

NOTA DE RODAPÉ

Futebol “emailado” «Caso dos emails: Vida íntima de dirigentes do futebol e arbitragem exposta» [Correio da Manhã. 16.12.2017] 1. Todos reconhecemos o poder do futebol, do social ao negocial. Movimenta milhões de euros, arrasta multidões, desperta paixões e ódios. A