OPINIÃO

/OPINIÃO

Este outro postal de férias

Pouco passava das dez da manhã. No calendário afigurava-se o fim do mês de agosto. A partir do varandim da aprazível biblioteca da Praia da Tocha, suspendemos as leituras que ali nos levara, ao darmos conta de um movimento rodoviário que se fazia sentir ao longo da avenida. Contámos. Eram sete, sete carrinhas identificadas, pertenças da APPACDM de Coimbra que ali estacionaram em frente, transportando à volta de cem utentes que iriam participar nos campos

Tertuliar

Regressamos aos postais e partilhamos uma peculiar tertúlia que nos reuniu no Choupal. O desafio era uma caminhada em modo lentificado, visando ampliar o nosso grau de perceção de sons, aromas e texturas com que a Natureza nos ia brindando. Sem cronómetro e seguindo o ritmo de cada um, tínhamos como “meta” a mesa selecionada para merendar e aí tertuliar (um pequeno relembrete: piquenicar é tertuliar!). Aos

HOMENAGEM AO PROF VÍTOR SEIXAS EM MIRANDA

Amanhã é evocado em Miranda do Corvo o professor VÍTOR LEONEL SEIXAS GOMES. Natural de Castro Daire o referido professor foi para aquela vila nos anos quarenta e dedicou-se com afeto e produtividade não só ao ensino que foi a sua principal missão, mas a atividades de relevo: em concreto o comando dos Bombeiros Voluntários e ainda a direção da Biblioteca Itinerante Calouste Gulbenkian uma novidade que levou livros a recônditas aldeias e lugares e

“Modo desastre”

Queridos leitores, façam o favor de se preparar porque se vão rir! Às vezes (demasiadas vezes) a Clarinha entra em “modo desastre”… Imaginem o seguinte… a Clarinha entra no edifício onde tem a sua sede uma grande empresa multinacional americana. Encaminha-se para o segurança e pede autorização para ir ao 2.ª andar. Dirige-se para o elevador e depois de olhar, com

NOTA DE RODAPÉ

RESCALDO DO VERÃO: INCÊNDIOS – UMA FESTA BRAVA! Depois de um julho fresco e húmido desfizeram-se as dúvidas. Veio o verão e com ele os muito desejados incêndios florestais já habituais e que desde 25 de Abril torram as nossas florestas, para contentamento da malta que vive do negócio do fogo e daqueles que se sentam nos cafés a beber minis e a deitar bitaites sobre a vida alheia. Desta

A Feira dos Vinte e Três

Vá à Feira dos Vinte e Três! Esta a sugestão que aqui deixamos a quantos se proponham quebrar a rotina do dia-a-dia e queiram ir ao encontro da nossa identidade. Vale a pena: os feirantes habituais são mais de trezentos, a par de um imenso número de pequenos agricultores vindos das redondezas, e que ali procuram vender os muitos e variados géneros, na sua maioria os mimos que sempre cultivam nas suas terras e nas

Postal Ilustrado

A obra de José Saramago é de um encanto muito íntimo e pessoal, é o reencontro com a verdade relativa, pois cada qual tem a sua verdade, conforme Pirandello; é o escritor de raiz, autêntico, variado com uma relação muito forte com o mundo que o cerca e com uma tensão dramática com o mistério insondável da vida e cujos livros singulares não são de circunstância, improvisados, mas uma saborosa sociabilidade de convivência, entre o

Encontros

Podamos uma árvore, desde do início dos tempos, para que dê mais fruto! Até a Bíblia fala nesta urgência da poda… Nós também temos que estabelecer a harmonia e o equilíbrio dentro de nós, através da poda, para darmos mais frutos no tempo e no espaço. Para connosco mesmos, conhecendo o nosso caminho e missão de vida, e também para com os outros, na contribuição para o evoluir do Planeta em que vivemos.

Tertuliar

Dias quentes reclamam pés na água, cabeça à sombra, sesta e, à semelhança de todo e cada um dos outros dias!, consciência dos momentos singulares que partilhamos e da alegria que é acordar para um novo dia. Tempo de férias é tempo de escrita. Uma escrita que se tornou quase telegráfica e sem tinta; mas… os selos aí estão a reclamar o uso e abuso da doçaria

INFORMAR, FORMAR, HOMENAGEAR, SURFAR

Há notícias que não largam a nossa atenção: os últimos dias foram preenchidos por acontecimentos que encheram noticiários e… os olhos e os ouvidos dos portugueses. Podemos salientar, dentre vários, o sismo da última terça de manhã; o cidadão do Ervedal, em Quiaios, que alegadamente, e provavelmente em padecimento psicológico, disparou um tiro sobre a