OPINIÃO

/OPINIÃO

Coimbra: cidade de excelência, liderar a região

Coimbra possui centralidade, saúde de excelência, ensino superior prestigiado, património cultural Unesco, infra-estruturas de qualidade e segurança, garantindo boa qualidade de vida. Coimbra está negligenciada e é vítima de estagnação socioeconómica, incluindo perda populacional. Os jovens estão condenados a sair. Amiga das empresas, inimiga da pobreza Coimbra não tem uma estratégia de captação de investimento.

GOSTAR DE FALAR…

Gosto de falar, deitar fora o que a alma já não quer e se torna num excedente que aflige e dói. Mas… dialogar? Onde está quem me pode ouvir sendo o muro adequado ou “Muro das Lamentações”? Talvez seja um desejo absurdo, uma ânsia desequilibrada, um pensar ultrapassado, onde o nexo já perdido ou distraído apenas deixou a lógica do seu falar completamente alheada do tema que

VIDREIRO JOÃO CHUVA A CAMINHO DOS CEM ANOS

Há poucos dias tive oportunidade e o grato privilégio de entrevistar o Sr. JOÃO CHUVA que vai fazer 100 anos a 2 de dezembro próximo. Trabalhou mais de 55 anos ao serviço da Empresa Vidreira da Fontela, empresa que agora conhece outra denominação. Teve uma loja de pequeno comércio em VILA VERDE no concelho da Figueira da Foz. Começou na Vidreira antes dos dez anos a servir água aos vidreiros porque o calor era muito.

Testemunhos: Acompanhei-os até à subida para as nuvens

Há alguns dias atrás, encontrei o meu diário de campanha e dele reproduzi lembranças de guerra. De duas delas fiz a transcrição nas páginas deste jornal. Examinei-o até ao fim e encontrei outras narrativas. Não resisto a comungá-las com os meus leitores. A primeira descreve uma emboscada. Segue-se um ataque a um aquartelamento. A terceira conta, com emoção, a despedida aos meus soldados. Prometo-lhes, caros leitores: – não voltarei a abordar

Entre Coimbra e os Arrabaldes

A primavera aclamava-se na sua tipicidade naquela tarde soalheira. Procurando escapar dos raios de sol mais fortes que aqueciam a cidade, entreguei os meus passos às ruas estreitas da Baixa, veredas pitorescas que tomam um ar ainda mais popular neste mês de constante arraial. As ruas de algum modo enfeitadas de fitas e arcos, o cheiro do manjerico e o fumegar dos fogareiros referem uma paisagem rústica desta cidade que lembra o Santo António numa

Retrospetiva de Mário Silva na Mutualidade

É um festim para os olhos e para a sensibilidade, o sonho e a poesia, o mundo-refúgio que o mestre nos deixou numa espantosa retrospetiva e a famosa dialética que entronca no psicologismo presencista do surrealismo-impressionista que mexe com os nossos sentimentos. Mário Silva depois da sua recente morte quis estar na sua cidade, esta Coimbra que sempre baitou no seu coração embora vivesse quase toda a vida fora dela.

Meditação

No mundo alucinado das correrias, competição, há quem já tenha descoberto o caminho do sucesso. Da resistência. Da saúde. Do equilíbrio, mesmo no meio das maiores responsabilidades. Apresenta-se sempre bem-disposto, afável e disponível, porque descobriu o segredo… Por isso é líder. O nome da ferramenta que traz sempre consigo, chama-se meditação! Esta prática não é apenas para monges. Religiosos. Crentes ou membros de seitas esquisitas. Destina-se a

Camisola 10!

A Clarinha esta semana escreve sobre o número de uma camisola?! Siiimmmmm!!! Lembro-me de ser (muito) novinha e ver os jogos de basquetebol do Eustácio, no Pavilhão dos Olivais. Aquele jovem, de cabelo comprido e escuro, era muito lutador dentro de campo e muitíssimo simpático fora dele. Tinha uns olhos muito vivos e lutava bravamente para conquistar cada ponto. O Eustácio foi um jogador verdadeiramente fora de

Gente de Coimbra: Um existencialista cristão

Recordar pontos essenciais dum dado espaço duma figura humana e servir o conhecimento que quis romper com a incomunicabilidade e dar-se ao coletivo. Foi assim Urbano Duarte. Homem da cidade de Coimbra. De cultura vasta. Humanista e “explorador” de ideias. De sensibilidade artística. Pedagogo que ensinou gerações. Homem de dimensão original. Palestrante e orador. Escritor e jornalista. Era assim e todo o vasto mundo da sua fraternidade,

O QUE É PENSAR?

Pensar é combinar ideias, raciocinar, acionar a razão, abrir portas e janelas onde a alma se reclina pondo a nu o nosso sentir, ora mais pesado, ora mais leve, como penas de andorinhas, que entre nós volteiam dando vivas à primavera, que lhes permite reconstruir seus ninhos. Pensar, é saber ouvir atentamente o interior do nosso coração que palpita numa “corrida” nem sempre lenta, nem justa, contudo, imparável pelo aconchego dos